DSC_1925

AMBICAMP: consciência e sustentabilidade

– Fonte: IBEF Campinas

 

Meio ambiente é responsabilidade de todos

 

DSC_7598

Mario Tannhauser é sócio do IBEF Campinas e diretor financeiro da AMBICAMP – empresa de referência na área de prestação de serviços de coleta e destinação de resíduos químicos. Empresas, como a AMBICAMP, são importantes atores ambientais porque a destinação de resíduos sólidos e líquidos é uma séria ameaça tanto para o meio ambiente quanto para a sociedade. “Os principais problemas gerados pelos resíduos são a poluição do solo, das águas e do ar” comentou Tannhauser.

Nos cálculos da ONU e do Banco Mundial nos últimos 30 anos a geração de resíduos sólidos urbanos cresceu três vezes mais rápido do que a população. Os sete bilhões de habitantes produziram 1,4 bilhão de toneladas de lixo e em 10 anos o montante chegará a 2,2 bilhões de toneladas. Os Estados Unidos lideram a estatística, com 5% da população mundial consomem 40% dos produtos. O Brasil já figura entre os cinco maiores campeões do lixo.

 

No Brasil, argumenta Tannhauser, a legislação propõe a prática de hábitos de consumo sustentável e contém instrumentos variados para propiciar o incentivo  à reutilização dos resíduos sólidos, além da destinação ambientalmente adequada dos resíduos. Trata-se da Lei nº 12.305/10 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), regulamentada pela Decreto 7.404/10. “A Lei fala sobre o conceito de responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos”, enfatiza.

DSC_6278

A Lei alerta que o lixo (resíduos sólidos) que produzimos é uma questão ambiental e, como tal, não pode ser compartimentada a só uma entidade ou pessoa. Assim, fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, o Estado, o cidadão e titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos são todos responsáveis pela minimização do volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como pela redução dos impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos.

Medicamentos

Não é só o resíduo doméstico que preocupa a sociedade. Segundo uma pesquisa realizada pelas Faculdades Oswaldo Cruz, 75% das pessoas em São Paulo descartam medicamentos no lixo comum e outros 6% descartam os remédios fora do prazo de validade na pia ou no vaso sanitário, por simples desconhecimento sobre os riscos dessa atitude. Na rede de esgoto, resíduos químicos de difícil decomposição podem contaminar o solo e a água, afetando diversos ecossistemas, aumentando a resistência de bactérias e alterando o sistema reprodutivo de anfíbios e peixes. “Veja como é importante o descarte consciente. Investir é fundamental porque o Brasil tem escassez de tecnologia e de mão de obra qualificada”, enfatiza Tannhauser.

DSC_7589

AMBICAMP

A AMBICAMP tem estrutura organizacional adequada as exigências de mercado, focando sempre nas necessidades técnicas de seus clientes e com uma constante avaliação nas novas tendências e exigências legais. Esta avaliação permite que seja feito um planejamento estratégico consistente e com uma visão arrojada em relação ao mercado. A empresa possui galpões com amplo espaço, controle e triagem de entrada e saída de resíduos, áreas de seguranças, armazenamento e destinação, acesso facilitado, frota, motoristas especializados são apenas alguns itens que a AMBICAMP oferece aos seus clientes.

O corpo técnico da empresa é formado por profissionais de diversas áreas, como biólogos, farmacêuticos bioquímicos, engenharias diversas, químicos e gestores ambientais. A diretora técnica da empresa é Maria Luisa de Souza. Química e bióloga com especialização em Engenharia da Qualidade pela UNICAMP e MBA Internacional em Gestão Empresarial pela FGV.